Ulisses Oliveira

Projetos educacionais e aprendizagem significativa

O poder dos projetos educacionais.

Ensinar os alunos com projetos educacionais ajuda a resolver um dilema muito comum dos estudantes, a relevância de alguns conteúdos ensinados.

Não é incomum ouvir alunos nos perguntando: “Para que tenho que aprender isso, professor?”

Acredito que muitos educadores já se depararam com esse questionamento e “tiram de letra” a indagação. Porém, você já se perguntou se o modo como você apresenta ou cobra a matéria o ajudará na vida profissional?

O fato é que podemos usar o ensino com vantagens para o futuro profissional. Os professores podem prepará-los para o mercado de trabalho propondo uma aprendizagem mais significativa.

Projetos educacionais e projetos profissionais.

Em primeiro lugar precisamos entender as grandes mudanças que o mundo corporativo e as profissões sofreram nos últimos anos.

As empresas estão focadas em performance, utilizam ferramentas e metodologias modernas de gestão e controle para extrair o máximo de resultado com o mínimo de investimento. Neste contexto buscam profissionais com o mesmo comprometimento.

As atividades profissionais estão mais dinâmicas e as interações com colegas de vários setores é fundamental. O profissional de hoje precisa ser polivalente e conectado para atender a expectativa do mercado, mesmo que seja realizando projetos pessoais.

Novas atividades surgem junto com os novos desafios, profissionais que conseguem identificar uma “dor”, propor uma solução e medir os impactos das ações, tem mais chance de crescimento profissional.

 

Projetos educacionais: interdisciplinaridade e aprendizagem significativa.

Quando trabalhamos um assunto com os alunos através de projetos, certamente conseguimos desenvolver várias habilidades fundamentais para o futuro profissional, como:

Trabalho colaborativo;

Pensamento crítico;

Uso de tecnologia;

Gestão de projetos;

Gestão de pessoas;

Análise de KPIs (Key Performance Indicator);

Acima de tudo, as atividades em um projeto educacional devem ser desafiadoras e envolver muitas ferramentas que ampliem a visão empreendedora do aluno.

O “movimento maker” tem se espalhado pelas escolas brasileiras como solução para preencher diversas lacunas no conhecimento prático das profissões. Alunos que “fazem” desenvolvem habilidades além das habituais, consequentemente, estarão mais preparados para o mundo profissional.

Desenvolver habilidades empreendedoras com projetos educacionais

Empreendedores de sucesso iniciam suas carreiras cada vez mais cedo. Hoje é muito comum encontrarmos startups consolidadas, com alto potencial de crescimento e fundadores muito jovens.

Isso se dá pois a geração atual tem mais sensibilidade em identificar problemas de diversos setores da sociedade. Da mesma maneira que identificam, são capazes de propor soluções.

Certamente, quanto antes exercitamos habilidades empreendedoras aos nossos alunos, mais rápido eles serão capazes de criar propostas para transformar sua realidade, de uma comunidade ou a realidade do mundo.

Parece difícil trabalhar essas questões em sala de aula?

Assim, deixo algumas dicas que poderão ajudar nesse processo.

Mercado de trabalho: Conhecer as novas práticas e tendências do mercado de trabalho podem ajudar na elaboração de um projeto. Que profissões estão surgindo? Como elas se relacionam com as tradicionais? Que ferramentas são utilizadas no dia a dia das empresas? Como funciona uma startup?

Protagonismo: É muito importante que os alunos participem desde a concepção até a conclusão do projeto. O papel do professor deve ser propor o assunto e resultado, mas toda organização deve ficar por conta deles.

Canvas: Explique e sugira que organizem e apresentem a proposta do projeto através de um modelo canvas. Um modelo bem definido facilita a organização e os detalhes poderão ser corrigidos antes de colocarem a mão na massa.

Não os subestime: Os alunos são capazes de coisas incríveis, principalmente quando falamos em tecnologia. Eles provavelmente conhecem, algumas ferramentas digitais, mais do que nós.

Interdisciplinar: O projeto tem que ir além da sua disciplina. Converse com os colegas! Encontre sinergia entre as matérias, não só para criar um projeto mais completo, mas para otimizar o tempo dos alunos.

Quer saber mais? Entre em contato com a gente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *